Corifeu - Lideranças no Canto Coral

Tempo de leitura:
Nos grupos musicais, há sempre um líder que conduz os trabalhos. Uma pessoa que, ao mesmo tempo que domina determinado assunto, exerce também influência sobre o grupo. Esse líder deve possuir o carisma necessário para chegar aos objetivos. Nas orquestras, existe um líder que a representa diante do maestro, chama-se spalla e, no coro, durante um tempo, alguns regentes nomeavam a figura do corifeu, uma liderança específica do canto coral que, com o tempo, foi deixada de lado, pois não fazia tanto sentido. O motivo está exposto logo abaixo neste post.

O Spalla e o Corifeu

O spalla é o principal primeiro violino da orquestra. Segundo o dicionário Groove de música,
"o spalla em geral senta-se na primeira fila da seção dos primeiros-violinos e é responsável pela execução das indicações técnicas do regente, tais como marcação das arcadas nas partes. Ele normalmente executa passagens para violino solo, serve como regente substituto, organiza ensaios por naipes e funciona como elemento de ligação entre a orquestra e sua direção."
A função de um spalla é bem técnica e necessita de amplo conhecimento musical, não apenas dos instrumentos da orquestra, especialmente os de cordas, como conhecimento de regência, para os momentos de falta do regente.

Os corifeus surgiram no teatro grego e eram os chefes dos coros que enunciavam as partes isoladas dos textos, que dialogavam com os atores. Segundo Ceição de Barros Barreto no livro Canto Coral - organização e técnica de coro,
"Costuma-se designar por "corifeu" ou "vogal" o melhor cantor de cada grupo, com maior segurança nas entradas e encarregado das frases em solo, sendo responsável pelo seu naipe; corresponde ao "spalla" ou "concertino" da orquestra."
A atribuição do corifeu, assim como a do spalla, também é bastante técnica e visa, sobretudo, às questões musicais. Entretanto, nos dias de hoje, sabemos que os atributos de um líder envolvem conhecimentos muito mais amplos que o domínio da ciência aplicada que atua. E, tratando-se de canto coral, as chefias musicais são importantes, mas a existência de outras lideranças podem ser cruciais para o sucesso do grupo.
Além de tudo, como a própria Ceição orienta, ao nomear um corifeu, o maestro corre o risco do grupo responsabilizá-lo por qualquer problema musical, e isto pode, na verdade, criar o hábito dos integrantes sempre cantarem por trás do corifeu e não estarem sempre seguros para executar sua parte. A noção de responsabilidade com o aprendizado musical precisa ser comum a todos os cantores, não a um só.

Tipos de líderes no canto coral

Como visto acima, as pessoas que possuem mais segurança com solfejo e com as linhas musicais, que aprendem mais rápido, que decoram mais depressa, que possuem disciplina para o estudo de sua parte, naturalmente assumem uma posição de liderança, já que são um guia para os cantores menos seguros. Embora esta não seja a situação ideal, é uma situação bastante comum em grupos de todos os níveis. Até porque o interesse é um combustível para o aprendizado de uma música e, em muitos casos, o repertório pode interessar mais a uns que a outros, ou ser mais familiar a uns que a outros e, naturalmente, aqueles que possuem mais afinidade com determinado repertório aprenderão mais rápido. Como já disse, não é o ideal, pois o equilíbrio do aprendizado torna o ensaio mais brando e prazeroso, entretanto, é comum acontecer.
Mas, além desse tipo de liderança, outras também podem surgir, e também assumem importância para o êxito do grupo. Abaixo seguem algumas categorias com nomes arbitrários expondo atributos de cantores que assumem lideranças e que fazem o coro funcionar melhor. 

Cantor Líder Agregador

O agregador é aquele cantor que sempre se preocupa com a integração entre os componentes do coro. Este cantor está sempre estimulando a interação entre as pessoas e criando um ambiente de amizade. Esse tipo de líder é peça fundamental para manter a harmonia do grupo. Ter esta pessoa no coral ajuda nos momentos de dificuldade e torna o ensaio mais ameno para aqueles que possuem dificuldade musical e problemas psicológicos, pois sabem que têm alguém disposto a ouvir e a ajudar. Normalmente, estes cantores são um importante canal de comunicação com o maestro, visto que também adotam essa postura diante dele, assumindo uma posição de amizade, e tendo mais liberdade para expressar os desejos do coro. O agregador é um político hábil que sabe articular os interesses das pessoas com o próprio grupo e com o regente.

Cantor Líder Estimulador

O cantor estimulador é um importante aliado do maestro. Funciona como um personal trainer de academia estimulando os cantores a fazerem da melhor forma. O estimulador normalmente usa frases motivadoras para o grupo fazer acontecer como: "vamos lá" "bora gente" "vamos ensaiar" "vamos cantar mais forte", "vamos chegar cedo", "to dentro", etc. Ter esse tipo de liderança no grupo é fundamental para fazer as coisas acontecerem, principalmente os grandes desafios. Normalmente, examino bem entre meus grupos se existe este tipo de liderança antes de propor grandes empreitadas. A ausência desse tipo de líder pode tornar tudo muito mais difícil.

Cantor Líder Operacional (Pau pra toda obra)

O líder operacional é aquele que está atento aos mínimos detalhes do coro. Se preocupa com os uniformes, com os equipamentos, que tem disposição para montar e desmontar tudo, que cuida da divulgação física e virtual, que escreve textos, que faz projetos. Líderes operacionais são fundamentais nos grupos corais dos dias de hoje. São muitas as possibilidades de execução, de divulgação, de aparelhagem. Ter pessoas que dominam esses assuntos e que têm interesse de colocar a mão na massa é ótimo para um coral. Cada líder operacional possui uma vocação, vale analisar cada um deles e distribuí-los nas funções que executam melhor. São essas pessoas que fazem a apresentação ficar perfeita.

Cantor Líder Persuasivo

Haverá momentos que o coro precisará fazer aquilo que não quer. Uma apresentação puramente institucional com uma música que não representa em nada o grupo. Uma apresentação em locais que o grupo não deseja ir. São diversas as situações que um coral não deseja estar. Cantores que trazem o lado bom desses eventos com um discurso convincente são importantes nesse momento. Eles também são ótimos para trazer novos cantores que não estão totalmente decididos a cantar no coral e conquistar novas parcerias. O cantor persuasivo também funciona como um político para o grupo, mas com um perfil de negociador, buscando atender os interesses mais ligados ao convencimento e às questões de trato pessoal e financeiro.

Cantor Líder Financiador

O cantor financiador é aquele que possui capital para ajudar nas questões financeiras do grupo. São peças que resolvem diversos problemas de maneira rápida. Dinheiro não é tudo para um coral, mas resolve muita coisa. Ter um cantor que seja provido de recursos traz muitas vantagens. Alguns regentes se constrangem em abordar o assunto, mas observe os grupos corais que conseguem recursos para viagens, intercâmbios, cursos, equipamentos, etc. Normalmente, há algum cantor que é provedor de boa parte disso. Os líderes persuasivos também são ótimas ferramentas neste momento, conquistando outras pessoas que ajudam neste sentido. Mas, ter um financiador resolve muita coisa com menos esforço. Como o financiador é um tipo de líder, só é necessário um cuidado, pois o dinheiro significa poder e, se este cantor não tiver os atributos necessários para manter a harmonia e fazer o interesse do grupo prevalecer, é melhor não contar com os recursos dele. O líder financiador faz isso por gosto e responsabilidade social, sabe que a causa é maior do que a vontade de aparecer ou de sobrepujar seus interesses.

Um coral necessita de muito trabalho extra musical para ter sucesso. Sem lideranças, por mais que o coro tenha alta qualidade musical, é pouco provável que progrida, pois confrontará problemas que não são de ordem musical, e que dificilmente serão contornados sem os elementos que sabem lidar com eles. Lembre-se que um coro precisa essencialmente de cantores. Ser líder não é impor sua vontade, mas ser sensível à vontade de todos e ter capacidade de torná-la possível. Não se constrói autoridade pela força, mas pela habilidade em atender interesses em comum. Nada pior que um espaço onde há "muito cacique pra pouco índio". Tomar as necessidades do grupo para si é fundamental para o crescimento. Assuma postura de líder com responsabilidade e verá como seu coro crescerá.

Tem algum tipo de líder coral em mente e quer compartilhar conosco? Deixe um comentário!!

Leia também:

Comentários

  1. Muito interessante, não conhecia a figura do Corifeu! O ambiente do canto coral ê bastante rico e é mesmo muito divertido ler o post visualizando os elementos que atuam como líder estimulador, líder operacional etc. Infelizmente só não conheci ainda um líder financiador. Deve ser a crise! Rsrs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O líder financiador está cada vez mais raro. Seria bom ter pelo menos um em cada coro... Kkkkkk

      Excluir

Postar um comentário

Deixe seu comentário

Inscreva-se

Postagens mais visitadas deste blog

20 dicas de como estudar o repertório do seu coral