20 dicas de como estudar o repertório do seu coral

Tempo de leitura:

O ensaio coral é um ambiente dinâmico e o cantor precisa ter postura proativa. O trabalho é de equipe e para funcionar, é necessário buscar diversas formas de estudar sozinho. Entretanto, muitos fazem escolhas equivocadas e constroem métodos que não funcionam. Nesta postagem trago 20 dicas para tornar o estudo mais eficiente e prazeroso.

1. Siga o roteiro proposto pelo maestro

Maestros já foram cantores. Sabem muito bem o que funciona. Por isso, não vá de encontro as orientações que passam. O maestro é como um técnico de futebol. Por mais que pareça errado, há uma tática por traz dos métodos que adota. Existem vários roteiros possíveis, cada um enfatizando um aspecto considerado importante. Confie e siga, depois veja se deu certo ou errado e tire as conclusões do trabalho realizado.

2. Adote uma rotina diária de estudo

O estudo da música é uma construção epistêmica. É necessário dar tempo para que o cérebro decodifique todas as informações. Cada pessoa tem um tempo diferente que segue uma complexa rede que envolve o passado e o presente. Adote uma rotina diária de estudo. Estude pelo menos 15 minutos ao dia. No meio de transporte, no intervalo do trabalho, no horário do almoço... Costumo dizer que há um intervalo de 3 minutos durante a exibição das novelas e aí está uma oportunidade para estudar. Busque espaços na sua agenda que permita uma rotina de estudos e seu rendimento melhorará significativamente.

3. Identifique os pontos de dificuldade no ensaio

O ensaio coral é dinâmico e, muitas vezes, não haverá tempo para resolver problemas individuais pontualmente. Por isso, identificar os pontos do ensaio que teve dificuldades é fundamental. São esses pontos que irão definir a sua rotina de estudos. Quando for estudar, comece diretamente por eles. Resolva-os e, em seguida, vá para o próximo ponto. Aproveite o momento de maior atenção: comece o estudo pelo ponto de maior dificuldade.

4. Não estude o repertório inteiro de uma vez

Cantores de coro normalmente são pessoas atarefadas, por isso, é necessário otimizar o tempo de estudo. Além de ir direto aos pontos de dificuldade, é importante que crie estratégias. Por exemplo: se o repertório tem 10 músicas, estude apenas uma ou duas por dia e faça um estudo focado e proveitoso.

5. Seccione as músicas

As músicas não precisam ser estudadas inteiras, podemos seccioná-las. Imagine uma música que tenha estrofe e refrão. Podemos em um dia estudar apenas a estrofe e, no dia seguinte, apenas o refrão. Isso também otimiza o tempo de estudo e foca ainda mais nos pontos de dificuldade.

6. Grave o ensaio

Gravar o ensaio mostra as orientações do maestro que necessitam maior cuidado. Também é possível observar onde há erros e acertos. Deixe o gravador próximo da sua pessoa e também perceberá quando fazes diferente dos outros e terás autocrítica em relação à própria performance.

7. Priorize a audição

Tudo começa pelo ouvir. Muitos cantores são ansiosos e não escutam as orientações e exemplos sonoros, outros cantam enquanto o maestro está dando o exemplo. Normalmente são esses que possuem maior dificuldade na repetição das melodias. Ouça primeiro, depois tente fazer o que foi proposto. Um cantor de ouvidos atentos é um cantor de sucesso.

8. Use os áudios de estudo disponibilizados pelo maestro

Muitos maestros disponibilizam áudios de estudo. Nestes áudios estão o padrão de execução das músicas. Lembre sempre que o maestro é como um técnico de futebol, se ele está disponibilizando um material, use-o com afinco, pois há toda uma tática por traz que pode ser fundamental para o sucesso do trabalho.

9. Plataformas de streaming

Muitos maestros não disponibilizam os áudios de estudo. Essa escolha pode ser feita por vários motivos: o maestro pode não ter intimidade com os meios de gravação, o maestro pode estar usando um método de construção musical ativa, o maestro não possui um exemplo vocal ideal e muitos outros motivos. Nessas situações as plataformas de streaming podem ajudar: YouTube, Spotify, Deezer, iTunes são alguns exemplos das diversas plataformas disponíveis na internet. Use-as com sabedoria. 

ATENÇÃO!
Nem sempre a melhor escolha está no uso do streaming. Alguns grupos possuem diferentes arranjos e, encontramos nestes ambientes versões que nem para coro são. Ouvi-las para conhecer o repertório não oferece problema, mas estudar por essas gravações sim. O arranjo coral é específico e escutar melodias que não estão nele pode causar muita confusão. Por isso, se for para estudar focado nas dificuldades de determinado arranjo, ouça no streaming apenas arranjos idênticos ao que seu grupo está fazendo. Caso o arranjo não exista nas plataformas a sua disposição, esqueça e fique com a gravação do ensaio e os áudios disponibilizados pelo maestro. Siga a seguinte ordem de importância:
  1. Áudios do maestro
  2. Gravação do ensaio
  3. Plataformas de streaming quando possuem áudios equivalentes ao arranjo/obra que está preparando.

10. Estude ouvindo diferentes partes vocais

Muitos maestros oferecem áudios em partes corais separadas. Ouvir apenas a sua voz acelera o aprendizado e ouvir outra voz e cantar a sua mostra o quão seguro está. Portanto, vez em quando, cante a sua linha ouvindo outra voz e teste se realmente está seguro. Podes convidar um amigo de outro naipe para fazer isso ao vivo também.

11. Use partitura

Há grupos que usam apenas partitura e outros que  trabalham apenas com a letra. Também há maestros que oferecem ambos os meios, facultando ao cantor a escolha do material que lhe convir.
No meu trabalho não abro mão da partitura. Acredito que, mesmo o cantor não lendo música, o "sobe e desce" das bolinhas cria um gráfico na mente que mostra o desenho melódico. Além disso, quando há mais de uma voz, na partitura fica claro onde se deve ou não cantar, o que as outras vozes estão fazendo, quando cantam juntas, etc. Independente da dificuldade na leitura de música, o cantor pode apenas seguir pela letra na própria partitura.
O reflexo natural do cantor iniciante é a substituição arbitrária da partitura pela letra buscando facilidade no estudo, mas isso só atrasa o trabalho e evidencia as dificuldades que precisam ser superadas. Acompanhar uma partitura não significa ler todas as notas, mas saber onde sua voz se encontra na música. É uma aptidão mínima para a atuação coral. Portanto, mais uma vez, independente do material adotado, siga o que o maestro oferece. A escolha é feita de maneira criteriosa e não usar traz muitos problemas para o grupo.

12. Invista em aulas de leitura musical

A leitura musical pode ter vários enfoques que culminarão no mesmo fim: solfejo, ritmo e som, teoria musical, percepção musical, linguagem musical são os diversos meios de aprendizado que dão suporte para o cantor aprender a acompanhar uma partitura. O cantor proativo pode buscar o conhecimento nessas aulas e melhorar sua performance no grupo.

13. Estude a letra

Dicção é 50% do trabalho. Um texto mal concebido não será devidamente comunicado. Muitos problemas de emissão acontecem pela má dicção do texto. Separe um tempo para estudar apenas a letra e depois junte com a música. Articule bem as sílabas e terá mais facilidade com o canto. Recite a letra se olhando no espelho, reparando se está fazendo as formas da boca solicitadas pelo maestro.

14. Aprenda a tocar um instrumento

Instrumento é sinônimo de ferramenta. Sendo assim, aprender a tocar um instrumento musical ajuda na leitura musical e no aprendizado das linhas melódicas do coral.
Instrumentos harmônicos como violão e piano também são ótimos para entender como funcionam a formação dos acordes na interação entre as vozes. Aprendê-los pode trazer mais uma vantagem no estudo.

15. Ingresse em aulas de canto e/ou técnica vocal

No canto coral o objetivo é o resultado do grupo. Independente da maneira que canta, não há uma preocupação individual com a pessoa. O negócio é fazer a música acontecer. Por isso, é fundamental que o cantor tenha alguma orientação individual que pode ser adquirida em aulas de canto e/ou de técnica vocal. Existem várias abordagens neste quesito. Pesquise um horário conveniente e comprove. Em muitos casos as notas pedidas pelo maestro não são alcançadas por problemas técnicos que são resolvidos em poucos meses de orientação vocal individual ou em pequenos grupos.

16. Faça grupos de estudos

Convide amigos do coral e faça um grupo de estudo. Além de fortalecer as amizades pela maior interação, os resultados são positivos para o coral. Muitas vezes a dificuldade do colega também é a sua dificuldade e a maneira que ele usou para superar pode fazer mais sentido que todos os exemplos dados pelos professores. Dividir sua experiência de estudo é fundamental para resolver seus problemas e do outro. O grupo de estudos pode se estender para alguma rede social como o WhatsApp e ser uma importante ferramenta de compartilhamento de gravações de ensaio, de materiais de estudo e de experiências.

17. Exercite-se

Cantar envolve o corpo todo. Mantê-lo relaxado é fundamental para uma boa atuação. Os esportes ajudam muito neste quesito, aumentando a consciência corporal e trazendo para o canto o melhor uso do corpo.

18. Solte a voz

No canto coral não há espaço para timidez. Toda a pedra preciosa não possui brilho natural, é necessário lapidar. Portanto, deixe a voz sair: de início parecerá estranho, mas o trabalho, aos poucos, vai moldando. Em casa é importante cantar à vontade. Não se preocupe com as pessoas, encontre um local e horário que não incomode e deixe a voz fluir. Isso trará mais segurança ao canto e o estudo será mais produtivo.

19. Cante mais!

Muitas vezes não alcançamos o resultado esperado por cantarmos muito pouco no dia a dia. Daí, a musculatura fica fraca, como se estivesse atrofiando. Por isso, para ganhar tônus, simplesmente, cante mais. Ingresse em outros corais, cante no chuveiro, no videokê, em luais, etc. O importante é manter a voz ativa. Mas tenha responsabilidade: esteja sempre em orientação vocal para não se machucar.

20. Divirta-se!

É importante que o momento do estudo seja prazeroso. Descobrir uma música é uma experiência sublime. Divirta-se com seu estudo, dê risadas do próprio erro, deleite-se com as linhas melódicas, aprenda com as letras das músicas e os resultados aparecerão naturalmente.

Tem alguma dica que deseja compartilhar? Deixe um comentário, ficarei feliz em ler!
Inscreva-se no canal e receba todas as novidades por e-mail.

Comentários

  1. Muito bom e necessário o texto. Procuro seguir algumas dicas de acordo com as possibilidades. Ainda tenho um longo caminho a percorrer.

    ResponderExcluir
  2. Faço tufo para seguir suas instruções, embora, as vezes não c consiga fazer diariamente

    ResponderExcluir
  3. adorei estas dicas. posso compartilhar?

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Deixe seu comentário

Inscreva-se