Como irritar o seu maestro

Tempo de leitura:

Na última postagem, trouxe ideias sobre o que faz com que um maestro fique grosseiro. Conforme prometido, trago, nessa postagem, uma lista de atitudes que me deixam muito irritado. Tenho certeza que muitos colegas de profissão irão concordar. Veja a seguir:

1. Faltar a concertos

Não existe atitude mais desrespeitosa do que faltar a um concerto. O concerto é o produto final dos ensaios. Tudo gira em torno dele. Muita energia é direcionada para que aconteça. Se, nesse momento, seus agentes não estiverem presentes, o trabalho fica comprometido. O maestro, como líder, vai repreender o cantor que faltar. E, quanto mais esfarrapada for a desculpa, mais irritado ficará o maestro. Portanto, ao faltar a um concerto, tenha consciência de que ouvirá uma "rabecada". Em alguns casos, a saída do grupo pode ser recomendada.

2. Não ter uma rotina de estudos

Se o grupo exige uma rotina de estudos, o cantor precisa segui-la. É uma questão de respeito ao colega que estuda seguir-lhe o exemplo, do contrário, haverá muitos problemas com o maestro e com os próprios cantores, que estão comprometidos. É função do maestro manter o interesse do grupo, por isso, não reclame se for repreendido por falta de estudo em grupos que estão motivados a estudar.

3. Não acatar orientações técnicas

O intérprete da música é o maestro. Portanto, cabe ao cantor corresponder às necessidades da música seguindo suas orientações. Isso não significa que não possa ponderar ou dar opinião sobre a interpretação de uma obra, mas, a decisão final será sempre do maestro. Portanto, caso não esteja correspondendo às necessidades técnicas durante o ensaio, prepare-se para uma chamada individual. Fique atento também às orientações de técnica vocal. Alguns maestros podem recomendar que mude de professor de canto. Daí é necessário estabelecer uma relação de confiança e saber onde se quer chegar. Maestros são muito sensíveis à estagnação. Percebem quando um cantor para de evoluir. Saiba pesar as opiniões dos regentes, e dos professores, para manter a melhora no rendimento. Use as propostas de sonoridades dos maestros como elemento de comparação. Se os outros cantores conseguem fazer e você, mesmo com orientação vocal, não, algo está errado.

4. Adotar postura desarmônica

É função do maestro manter o grupo em harmonia. Havendo desavenças, o maestro precisa se posicionar. Dependendo do caso, pode ser solicitado o afastamento do cantor. Sempre ajude os cantores que têm dificuldade, e procure relevar os momentos de discórdia. O cantor também tem a responsabilidade de manter o ambiente harmônico e colaborativo.

5. Interromper o ensaio com assuntos irrelevantes

Algumas pessoas sentem necessidade de aparecer e paralisam o ensaio por motivos irrelevantes. Atente para o limite da interrupção. Uma ou duas vezes o maestro pode até dar alguma atenção, mas se o cantor exagerar, será tratado como maluco. Já vi casos que, de tanto atrapalhar aos ensaios, o maestro finge que nem ouve as considerações de determinados cantores, simplesmente ignora, e segue com o trabalho. Nos casos de muito delírio, o maestro pode solicitar o afastamento do grupo ou algum acompanhamento médico.

6. Atropelar as deliberações do maestro

Algumas pessoas resolvem liderar no lugar do maestro, travando um duelo durante os ensaios, questionando suas deliberações e criando embates. Enquanto o líder for legítimo, esta briga será perdida. O grupo estará ao lado do dirigente o tempo todo e, de alguma maneira, irá isolar o cantor que causa problema. Nos casos em que o cantor consegue retirar o regente, muitas vezes, o grupo passa por crises agudas, tendendo a se desmanchar caso não consiga rapidamente outro líder legítimo. Lideranças legítimas possuem grande influência sobre os cantores mais importantes, que as respeitam e consideram. Normalmente, cantores que assumem posição antagônica a essas lideranças contribuem para a destruição de um coro.

7. Questionar a capacidade técnica do maestro

O regente é um ser humano comum. Erra como qualquer outro. Fazer um questionamento em relação à técnica de ensaio do regente em privado é aceitável, mas, durante o ensaio pode deixá-lo irritado, pois afeta a legitimidade de sua liderança. Portanto, se não quiser ser convidado a conduzir o ensaio de seu grupo, deixe as arguições desse tipo para momentos individuais com o regente.

8. Tornar o maestro um terapeuta

Quem conduz o ensaio de um coro é um artista, não um terapeuta. O maestro está preocupado com a música, com a arte. Se precisa de algum tratamento de saúde, procure um especialista na área. Um maestro não cura doenças, tampouco, o coral. Arguições do tipo: "não vim aqui pra fazer música, mas sim para ter um momento de diversão" fazem o maestro se sentir um palhaço. Se não quer ser mandado para um circo, ou algum outro lugar pior, evite esse tipo de argumento para justificar a falta de compromisso.

9. Afastar-se do coral por motivos banais

Se você resolver se afastar do coral por algum motivo besta, do tipo: não quero cantar tal música, não quero cantar ao lado de fulano, não quero cantar em tal idioma, não espere que seu maestro o convide novamente para qualquer outro tipo de trabalho. Esses posicionamentos, além de anti-artísticos e anti-harmônicos, demonstram descompromisso com o grupo. Quando um maestro escolhe o repertório, pensa no grupo que tem à disposição. Se determinados membros resolvem sair por qualquer motivo banal, afeta todo o planejamento. Isso retira a confiança do maestro no cantor, pois, nunca terá certeza de quando poderá contar com ele. Nenhum maestro quer manter pessoas que não estejam alinhadas com as necessidades do coral. Além disso, atitudes egoístas estão fora da filosofia coral, que é essencialmente colaborativa. Generosidade faz parte da natureza dos grandes maestros. Os melhores que conheci possuem esta qualidade e não compactuam com o egoísmo. Todo maestro tem uma relação de cantores com quem não pode contar. No início, se decepcionam com eles, em seguida, colocam-nos em sua "lista negra".

10. Reclamações sobre o ambiente

Todo maestro entra no ensaio pensando na música. Os cantores, que estão dedicados ao grupo, também o fazem. O cantor que reclama o tempo todo do ar condicionado, do calor, do vento, da luz, da partitura, vira um chato que ninguém consegue aturar. Especialmente, quando, nos momentos mais importantes do ensaio, resolve interromper para reclamar de algo desse tipo. Nesses momentos, o regente só pode chegar à seguinte conclusão: "esse cara não está nem um pouco preocupado em assimilar as orientações artísticas, pois se preocupa mais em "encher o saco" do que com a atividade coral". O bom regente sempre está atento à temperatura, à qualidade do material e ao ambiente de ensaio, pois sabe que isso influencia o rendimento de seu trabalho. Se há algum incômodo neste sentido, aguarde um momento de pausa para fazer seu pedido. E não o faça constantemente. Observe se outros cantores também se sentem da mesma forma. Lembre-se: o mundo não gira em torno de você.

11. Fazer o regente repetir várias vezes a mesma coisa

Repetir a mesma coisa diversas vezes irrita a qualquer um, não apenas aos maestros. Pense em mais de 30 pessoas pedindo para repetir a mesma coisa. Em seguida, pense no tempo de ensaio perdido com isso. Faça o maestro repetir 50 vezes o número do compasso e verá uma fera em transformação. Pior ainda é quando começa o telefone sem fio. O maestro diz: compasso tal. E os cantores começam a perguntar uns aos outros: qual o compasso? E, ainda por cima, passam o compasso errado. Caos instaurado, maestro irritado.

12. Falar ao mesmo tempo em que o maestro está passando orientações

Sabe aquele ditado: "quando um burro fala, o outro abaixa as orelhas"? Isso precisa acontecer em qualquer ensaio, mesmo que o maestro e os cantores sejam, de fato, burros. Porém, o ditado não se propõe a humilhar ninguém, mas sim ressaltar a humildade intrínseca no ato de parar para ouvir o que o outro tem a dizer. Revela-se, na atitude do burro que abaixa as orelhas, uma grande nobreza.
Situação: O cantor de coro gosta de cantar e, quando não está cantando, fica entediado. Daí, começa a conversar com o outro. No entanto, neste exato momento, o maestro passa orientações. Orientações que ninguém ouve, pois estão confabulando. O Maestro dá a entrada inicial, nada acontece. Atitudes como essa revelam desinteresse no que o maestro tem a dizer. Por ser rude, irrita.

13. Faltar a ensaios 

Todo ensaio precisa ser pleno. A falta de vozes é sempre prejudicial. Uma falta ou outra o maestro tolera, mas quando o cantor falta várias vezes, observe que o olhar do maestro já muda.
Abaixo seguem algumas combinações irritantes possíveis que, adicionadas às faltas consecutivas, irritarão ainda mais seu maestro.

Combo Irritante 1

Após diversas faltas consecutivas, experimente dizer ao maestro que não consegue acompanhar o ensaio. Aproveita e justifica o fato dizendo que não sabe por que faltou.

Combo Irritante 2

Você pode, além de faltar várias vezes e ficar perdido, não levar a partitura. E pode justificar dizendo que não levou porque faltou ao ensaio anterior e não sabia da dita cuja.

Combo Irritante 3

Você ainda pode fazer tudo isso e dar uma desculpa esfarrapada. Algo do tipo: "Deixei de ir ao ensaio pra ir à praia". Na mente do maestro, neste momento, pode passar a seguinte reflexão: "Putz, deixei de ir à praia pra ensaiar e esse......" (seja criativo e termine a frase).

14. Faltar a ensaios extras

Todo maestro, quando marca um ensaio extra, está deixando de fazer algo para atender a uma necessidade de um coro que não deu conta do trabalho no tempo previsto. Assim, o maestro está abrindo mão de alguma outra atividade para estar lá. O cantor que falta a este ensaio por motivo banal deixará o maestro muito irritado, pois tornará claro que não dá nenhum valor ao serviço prestado. Adicione aos combos acima a falta do ensaio extra e só haverá um motivo para não ser expulso do grupo: seu maestro é um banan... uma mãe.

AUTOTESTE

Veja em qual dos pontos você se insere e confira o quão irritante você é. Se marcar 10, significa que você é um irritante nota 10, mas se for mais de 10, repense, pois seu maestro deve estar, neste momento, pensando em algum meio de se livrar de você.

Leia também:

Comentários

  1. Excelente, inclusive é possível já ficar irritado lendo o texto, hahaha.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não é? As situações já vão vindo a mente e irritando cada vez mais. Kkkkk

      Excluir
  2. Kkk Muito bom!! Acho que eu fiquei com uma pontuação baixinha e não vou ser defenestrada dos meus corais. Sempre achei que o maestro tem que ter um pouco de monge budista. E tome meditação! Ommm...

    ResponderExcluir
  3. Mais um bom texto para reflexão, de alerta do comprometimento com o grupo.

    ResponderExcluir
  4. Achei ótimo. Essas atitudes não só irritam ao maestro, mas a todos que estejam comprometidos com o trabalho. Trabalhamos em equipe, e precisamos ter atitudes coerentes com esse propósito.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Deixe seu comentário

Inscreva-se

Postagens mais visitadas deste blog

20 dicas de como estudar o repertório do seu coral