Resenha Coral - Canções do Brasil - Coro da OSESP

Tempo de leitura:

O disco de 2009 do Coro da OSESP é um marco na qualidade de execução, gravação e interpretação da música coral brasileira. Os principais compositores do século XX e XXI, de Heitor Villa-Lobos a Gilberto Gil figuram neste disco, revelando muito da identidade brasileira na produção coral. Obras de grande dificuldade técnica como os Choros 3 (Pica-Pau) de Villa-Lobos estão no álbum, mostrando a versatilidade e alto rendimento do grupo.

Coro da OSESP

O Coro da OSESP é um dos poucos corais profissionais que atuam no Brasil. Foi criado em 1994 como Coro Sinfônico do Estado de São Paulo e só recebeu o nome atual em 2001. Possui foco no repertório sinfônico atuando junto à OSESP e no repertório coral brasileiro contemporâneo e do século XX.
Até 2005, a regente titular era Naomi Munakata. Em 2014, Naomi foi nomeada regente honorária. Em 2017, Valentina Pellegi se tornou regente titular, cargo que exerce até hoje.

Naomi Munakata

Nascida no Japão, Naomi veio morar no Brasil com apenas dois anos de idade. Estudou com músicos importantes como Eleazar de Carvalho, Hugh Ross, Sérgio Magnani, John Neschling, Koellreutter e Eric Ericson. É premiada como melhor regente coral pela Associação Paulista dos Críticos de Arte. Foi diretora da Escola de Música Municipal de São Paulo e regente do Coral Jovem do Estado de São Paulo. Atualmente, rege o Coral Paulistano Mário de Andrade, após duas décadas à frente do Coro da OSESP.

Canções do Brasil

O disco é uma delícia de se ouvir. As vozes se misturam com muita beleza. O repertório é de altíssimo nível e muito bom gosto. É possível ouvir os principais compositores do Brasil no melhor de sua produção. É uma referência para mim no sentido timbre, interpretação e musicalidade.
Achei muito feliz a ideia de gravar músicas de Gilberto Gil, Luiz Gonzaga e Dorival Caymmi, revelando a alta qualidade da produção de arranjos de música brasileira para coro, mostrando que nossos compositores de música popular são tão relevantes quanto os ditos eruditos. Em tempo, considero essas duas categorias uma besteira que inventaram para fazer juízo a manifestações de origens diferentes. Revela-se um olhar elitista e preconceituoso quando se cria tais categorias. Prefiro pensar que tudo é música... de alta qualidade (!).
Também é possível conhecer muito da manifestação folclórica brasileira no Cancioneiro de Lampião, Cateretê, Congada e outras obras. O uso de percussão nas obras de matriz afro-brasileira, e de percussão corporal, é de muito bom gosto e de execução agradável, sem sobrepor a presença do coro e o foco na voz, exercendo a função de preencher os espaços e abrilhantar o espetáculo.
Para quem gosta de Canto Coral, Canções do Brasil é uma aula de música brasileira. O disco é um primor. Ouçam e comentem!

Leia mais:

Comentários

Inscreva-se

Postagens mais visitadas deste blog

20 dicas de como estudar o repertório do seu coral