Intercantus - Um coro de interação

Tempo de leitura:

 

Já pensou em um coro no qual o foco é a interação entre cantores experientes e iniciantes? Um coro no qual cantores de todos os níveis podem interagir e se divertir juntos? A postagem de hoje é sobre o Intercantus, o novo grupo da Associação de Canto Coral.

Como surgiu o Intercantus?

O Intercantus é resultado do trabalho realizado desde 2012 no Coro Oficina, da Associação de Canto Coral.
O Coro Oficina era um grupo de iniciação coral voltado para cantores sem nenhuma experiência, que desejavam ter uma atividade musical usando a voz. Com o tempo de trabalho, os cantores foram se afeiçoando ao grupo e ganhando mais experiência, deixando o coro com um perfil musical intermediário, mas altamente receptível a novos cantores iniciantes.
A cultura do grupo sempre foi incentivar o novo cantor a se tornar cada vez melhor, a partir do exemplo dos mais experientes. Como, durante muito tempo, os cantores desse grupo receberam aspirantes zerados na prática, o antigo Coro Oficina se tornou expert em acolher iniciantes, promovendo uma interação importante para o crescimento coral: o bom exemplo do cantor experiente e a perseverança do cantor iniciante. Esses aspectos, combinados, resultam em uma simbiose que torna o Intercantus um grupo único que se abastece da boa vontade e do amor pela música de cada cantor.

Por que interagir?

O cantor experiente é um ótimo exemplo para o cantor iniciante. Normalmente, é no cantor experiente que o iniciante se espelha.
Muitas pesquisas em música apontam que os cantores iniciantes aprendem mais nas atividades de grupo do que nas individuais. Isso é uma quebra de paradigma, pois, muita gente acredita que, em uma aula individual, com atenção exclusiva, o aproveitamento será maior. Mas, a música não funciona dessa maneira, os pressupostos da ciência são outros.
Um exemplo prático: qualquer músico concorda que é mais fácil tocar com uma banda do que sozinho. Esse exemplo pode ser transposto para qualquer outra situação, inclusive as de aprendizado.
Nem sempre o exemplo do professor é o que o aluno precisa. Um professor homem adulto jamais dará um exemplo ideal para uma criança, ou mulher, pois, são tipos vocais diferentes. Entretanto, um professor competente sabe muito bem como explicar a maneira de fazer e, um outro aluno de voz igual, seguindo as orientações, pode trazer o exemplo ideal para quem está com dificuldade.
A maioria das músicas foram feitas para ser em conjunto. Mesmo nos concertos para determinados instrumentos, sempre há um acompanhador. Portanto, o exercício da música em conjunto é primordial. É um fundamento básico da ciência e, arrisco dizer: quem opta pela atividade individual está abrindo mão do benefício musical mais básico: a interação humana.

Repertório eclético

Se a proposta é voltada para um grupo heterogêneo, democrático e interativo, o repertório não pode ser fechado em um só gênero. Por isso, o Intercantus canta de tudo: do clássico ao popular, do nacional ao internacional. É um grupo onde o aspecto mais importante é a experiência coral, independente do tipo de música que canta.
Particularmente, não tenho muita confiança no cantor que escolhe um grupo pelo repertório. Este tipo de cantor normalmente não fica em nenhum coral. Fica pipocando de grupo em grupo, aguardando que o mundo gire em torno de suas predileções. Um aspecto egoísta, insensível e antimusical.
Aquele que realmente gosta de canto coral  se diverte em qualquer ambiente. Tudo bem que todos temos predileção por algum repertório específico, mas se isso chega à repulsa, significa que a pessoa não gosta da atividade coral tanto assim, por isso, não se dispõe a se esforçar em função do gosto alheio.
Nem todos temos o mesmo gosto musical, saber que um repertório não vai agradar a todos é uma questão de respeito aos pares. O repertório que agrada a um não necessariamente agradará a outro. Os gostos são diferentes e a atitude madura é ceder. Saber que, em determinado momento, aquele repertório não agrada, mas, posteriormente, virá um que agradará, e espera-se que o colega saiba ceder da mesma forma. É assim que um grupo se perpetua: respeitando o outro, sabendo ceder e alimentando a postura colaborativa.
O Intercantus recebeu este nome, pois, seus integrantes sabem bem como lidar com esse tipo de situação. O grupo já cantou de tudo, desde o folclórico ao erudito, já cantou em chinês, japonês, inglês, alemão, espanhol, francês. É um grupo cujo foco é a experiência, mostrando maturidade ao lidar com novidades e abertura para aprender cada vez mais.
Por  fim, o estudioso de música que se fecha em determinado repertório e em um mundo pequeno pouco cresce e pouco aprende. Interagir é fundamental para o desenvolvimento musical. O Intercantus veio para favorecer isso.

Ficou interessado? O Intercantus recebe cantores a qualquer tempo. Os ensaios são nas segundas das 18:00 às 20:00. Venha nos conhecer!

Leia também:

Comentários

  1. Muito bom texto, Maestro! Realmente, esta é a essência do Intercantus. E temos vagas, principalmente para sopranos e tenores! Venham conhecer este grupo da ACC.

    ResponderExcluir
  2. Parabens maestro Rafael
    Texto muito claro em suas colocações e seus objetivos
    Grupo em sintonia

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Deixe seu comentário

Inscreva-se

Postagens mais visitadas deste blog

20 dicas de como estudar o repertório do seu coral