Como melhorar a voz com o canto coral

Tempo de leitura:
Rafael Caldas explica como o canto coral ajuda a melhorar a voz.

Muitas pessoas acreditam que a qualidade vocal é algo inato, e que não é possível melhorar. Confiam naquele ditado: "quem é bom já nasce feito". Mas será que é justo com quem não foi agraciado com uma bela voz? Será que é impossível que reles mortais possam melhorar sua voz? Hoje, vamos falar sobre como melhorar sua voz fazendo canto coral.

Qualidade vocal no canto coral

Uma das características mais democráticas do canto coral é o fato de não necessitar somente de vozes bonitas e bem trabalhadas. O importante na atividade é a combinação dos sons de todo o conjunto. Por isso, cada coral é único, cada formação possui uma característica que lhe é própria, e que dá singularidade ao grupo. É claro que um coro composto apenas de vozes feias não tem como soar bem, mas esta questão de feio, ou bonito, é algo que não há como julgar de forma precisa, sem passar pelo gosto estético pessoal.

Há quem ache a voz do Louis Armstrong lindíssima, mesmo áspera e rouca, há quem prefira a doçura da Billie Holliday ou da Ella Fitzgerald, também há quem goste do som empostado da ópera, mas já ouvi pessoas comparando o som de um soprano cantando Verdi com o de uma galinha cacarejando. Enfim, gosto é pessoal cada um tem o seu, portanto, não há como julgar a qualidade de uma voz por essa abordagem. Mas, como o canto coral não se preocupa tanto com isso, podemos falar de qualidade vocal sob outros princípios.

Basta manter-se saudável para melhorar a voz

Costumo dizer que toda voz saudável é bonita. Há diversas maneiras de cantar, cada gênero sugere uma colocação, que resulta num efeito diferente, mas, nenhum deles suporta uma voz debilitada.

Ocorre que, em muitos dos casos, não é uma questão de beleza natural, mas da manutenção do tônus vocal. Melhorar a voz pode ser apenas uma questão de manter-se cantando, para evitar o definhamento da musculatura. Quando não mantemos nossa voz em ação, ficamos com a musculatura flácida, sem o tônus necessário para vibrar de forma adequada.

Portanto, ingressar num coral pode ser um bom começo para quem está com a voz enfraquecida pelo pouco uso. Mesmo para aqueles que querem melhorar a oratória, o canto coral é recomendável. É claro que não proporciona cura, mas é um ótimo coadjuvante no recondicionamento do aparelho fonador.

A crença de que a boa voz é algo inato, na verdade, funciona mais como desculpa para não ingressar na atividade.

O canto coral melhora sua voz

  • mantendo as musculaturas ativas e preservando o tônus vocal;
  • quanto à oratória, proporcionando uma melhor comunicação com as pessoas;
  • dando confiança para se afirmar, trabalhando dificuldades ligadas à timidez;
  • aumentando a versatilidade em diferentes técnicas, a partir do contato com diferentes gêneros musicais;
  • trazendo o prazer de cantar, sem medo de se expor.

Use sempre sua própria voz

Muitos têm dificuldade de encontrar a melhor forma de usar a própria voz. Tendem a imitar algum cantor, que tenha como referência, interpretando uma música. É difícil cantar a música "como nossos pais" sem imitar a voz da Elis Regina, ou cantar "estúpido cupido" sem imitar a Celly Campello. É um reflexo natural imitar a voz de um intérprete cujo tipo vocal traz uma identidade única à música. A música "escrito nas estrelas" tem a marca da Tetê Espínola. Dificilmente uma outra versão emplaca, sem uma voz super aguda como a dela.

No canto coral, esse problema é atenuado, pois, a referência é o som do grupo, não de uma pessoa em especial. Isso ajuda o leigo a não cair no erro de tentar imitar outra voz enquanto canta.

Atente para os estereótipos

Cada gênero musical tem um estereótipo próprio que define o jeito de cantar. Se espera um canto meio gemido ao ouvir um calypso paraense, alguns gritinhos em falsete masculino, ao ouvir um axé baiano, uma forma mais ríspida de cantar, no funk carioca, um canto mais falado, no rap paulista. Enfim, os estereótipos de cada ambiente de produção, muitas vezes, irão ditar a colocação vocal. Estar atento aos reflexos que isso pode trazer à saúde é importante.

Um outro problema é quando um professor dita um estereótipo para o aluno. Todo professor possui um gosto pessoal, e é natural passar isso ao aluno. Quando os gostos não batem é um problema, pois, em boa parte dos casos, o aluno desiste da atividade. O ideal é encontrar uma atividade que permita a execução de diversos gêneros musicais, enriquecendo o conhecimento estético e aumentando a experiência do aluno.

Para melhorar a voz, é melhor fazer aulas de técnica vocal?

Como gosto de futebol, sempre faço a seguinte analogia: o canto coral é como um treino coletivo e a técnica vocal é como o treino individual. Ambos são importantes e necessários para melhorar a voz, mas, o primeiro tem função mais recreativa e, o segundo, é algo mais focado.

O grande problema é justamente os estereótipos que muitos professores tentam impor aos alunos. Muitos professores de canto, por exemplo, amam ópera e acabam sugerindo aos alunos que o auge da técnica vocal é cantar ópera. Ópera precisa de uma voz forte, que fure uma orquestra e preencha um teatro. A tendência de um professor mais ligado à ópera é trabalhar o tempo todo o tônus vocal do aluno.

Muitas vezes não é isso que o aluno quer. O aluno pode estar mais interessado em técnicas da música soul, ou técnicas do heavy metal, ou técnicas de canto a duas vozes do sertanejo. Tudo isso também é técnica vocal, cada uma com a sua peculiaridade dentro do gênero musical em que se insere. Portanto, a limitação estética de um professor, pode causar uma limitação técnica no aluno.

Canto coral melhora a voz de forma mais ampla

De fato, a maioria dos problemas do aluno iniciante é o tônus vocal. Também concordo que, em boa parte dos casos, quando o problema está ligado ao tônus vocal, o ideal é o aluno trabalhar em grupos menores com foco em exercícios que fortaleçam a musculatura da voz, mas, vejo muita gente que já resolveu esses problemas empacada em aulas que não saem da mesma abordagem.

No canto coral, as técnicas estão aglutinadas na própria atividade. O canto em harmonia resolve boa parte da consciência das músicas de grupos vocais: do sertanejo a boy band. A possibilidade de ouvir vários tipos de voz alarga a percepção do aluno, além de trazer experiência na escuta de diversos efeitos vocais. Quanto maior a riqueza estética de um coral, com repertórios de vários gêneros sendo trabalhados, maior o arcabouço técnico que o aluno irá deslumbrar.

Dá pra melhorar a voz fazendo canto coral on-line?

Com o método adequado é possível melhorar sua voz no ambiente on-line. As ferramentas digitais ajudam a ter um feedback imediato e preciso, permitindo que o aluno consiga observar o que melhorar na sua própria voz. Acompanhado por um profissional que saiba usar os recursos a seu favor, seu desenvolvimento pode ser maior do que na maior parte das abordagens presenciais que existem por aí.

Neste blog escrevi um artigo explicando se o canto coral on-line funciona. Vale a pena dar uma olhada. Clique no link abaixo e confira:

>>>>>>>>>>Canto coral on-line funciona?<<<<<<<<<<

Comentários

  1. Muito claro e animador seus comentários. Uma eco leitura e aprendizado.

    ResponderExcluir
  2. Rafael, parabéns pelo tema e por sua abordagem. Mais um tema, o tratamento da voz no/para o canto coral e na técnica vocal, que, acho, "transcende" esse objetivo imediato pois pode mudar, para melhor, o relacionamento interpessoal do cantor na sua vida.

    ResponderExcluir
  3. Cantar depende do professor mas principalmente do cantor. Com o trabalho online isso fica muito claro. Mas um bom professor estimula o cantor, no caso a cantora aqui, não desiste e sempre tenta melhorar com os exercícios individuais.🤗

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Deixe seu comentário

Postagens mais visitadas deste blog

20 dicas de como estudar o repertório do seu coral