5 dicas de karaokê que NÃO servem para o canto coral

Tempo de leitura:

5 dicas de karaokê para turbinar sua voz sem prejudicar no canto coral

dicas de karaokê para melhorar sua voz

Você gosta de karaokê? Canta em algum coral? Sabia que as atividades têm muito em comum, mas, em alguns aspectos, funcionam um pouco diferente? Então leia este post até o fim e veja cinco dicas que funcionam muito bem no karaokê, mas deixam os maestros muito irritados.

Dicas de karaokê infalíveis para você arrasar cantando

Cantar em karaokê é uma grande diversão e é natural que os cantores dessa categoria se interessem pelo canto coral. Afinal, a atividade possibilita um desenvolvimento vocal consciente e amplia as possibilidades de diversão para quem gosta de cantar.

Veja abaixo algumas dicas que vão lhe tornar um ótimo cantor de karaokê, mas não vão funcionar quando estiver cantando em um coral.

1. Gritar ao invés de cantar

Certa vez, tive a oportunidade de cantar a música "Renata Ingrata" do Latino no karaokê. Um amigo tinha acabado de terminar um relacionamento com uma pessoa desse nome e estava bem deprimido.

Tomando as dores de nosso amigo, gritamos durante a música inteira, mas cantamos dentro do ritmo. A surpresa foi uma nota 99 no karaokê, que estava mais preocupado com a quantidade de decibéis que nossas vozes em conjunto produzia, do que com a exatidão das notas ao afinar.

2. Improvisar a letra

Improvisar é uma grande diversão no karaokê. Aquela música em inglês no "enrolation", em espanhol no "portunhol", aquele sotaque carioca no francês fazendo os erres (R) bem guturais...

Todos esses recursos enganam muito bem a máquina, mas um maestro fica bem chateado quando o cantor não estuda a letra e chega no ensaio querendo enrolar.

3. Estrelismo

Como disse na dica nº 1, cantar as notas mais fortes no karaokê aumenta as chances de uma pontuação maior. Mas, tem gente que adora aparecer e leva isso à risca! Faz um monte de poses engraçadas, começa a cantar mais forte que todo mundo.

Tem coral que trabalha dessa forma, e fica bem bacana. Mas, nem todo mundo tem esse perfil. E quando não há uma unidade, a sonoridade do coro fica bem estranha. Aqueles que gostam de aparecer, não costumam ter a extroversão bem vista nos corais.

4. Repertório imediato

Nada melhor do que uma máquina que toca aquilo que você quer cantar naquela hora. Você abre uma lista de músicas, escolhe um número e pronto: já pode cantar. No final, vem a nota e, em seguida, partimos para outra. Se for boa, ótimo, se não for, tanto faz. Segue o barco...

No karaokê, podemos escolher o que estamos afim de cantar, aumentando a inspiração e deixando as interpretações cheias de entusiasmo. No canto coral, normalmente, o repertório é feito com esmero. Para preparar as músicas, repetimos diversas vezes e experimentamos diversas sonoridades até chegar a um veredicto final. O canto coral exige mais paciência.

5. Rixa de repertórios

No karaokê tem a rixa dos pagodeiros, dos roqueiros, dos emepebezeiros (MPB). Cada um tem a sua vez, e pode cantar o que faz melhor. Escolher o repertório com maior familiaridade é ótimo para alcançar bons escores. No canto coral, essa familiaridade é importante, mas não é bem assim que alcançamos boas pontuações. Todos precisam cantar juntos o tempo todo, então, é preciso entrar em um acordo.

Esse negócio de "não gosto dessa música" pode atrapalhar bastante o andamento do conjunto. Afinal, o maestro conta com o grupo completo na hora de preparar o repertório e, mesmo não gostando muito de uma ou outra música, o trabalho precisa acontecer no geral.

No canto coral, é necessário aprender a ceder. A diversão é cantar em conjunto. Então, muitas vezes, cantamos aquilo que não gostamos para depois, em situação inversa, cantarmos aquilo que gostamos. É impossível sempre agradar a todos.

Se você gosta de karaokê, participe de um coral

Embora algumas técnicas de karaokê atrapalhem o canto coral, a finalidade da atividade é bem parecida, sendo ótima para quem gosta de cantar. Ambos trazem consciência e permitem um trabalho divertido e prazeroso.

E você? É do canto coral ou do karaokê? É dos dois?

Se você é cantor de karaokê e quer ampliar sua experiência vocal, considere entrar em um coral. Você já é uma pessoa musical só pelo interesse em cantar. É muito provável que tenha sucesso nos dois ambientes.

Alguns hábitos serão revistos, e seu controle vocal vai aumentar. Além disso, conhecerá pessoas que também gostam de cantar como você, e ter outras companhias para se divertir no karaokê.

Saiba mais sobre COMO FUNCIONA O CANTO CORAL acessando o artigo do link abaixo:

CLIQUE AQUI E SAIBA MAIS SOBRE CANTO CORAL

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

20 dicas de como estudar o repertório do seu coral